• Rádio Online
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube

Anterior


Desafio Infantil

21/04/2015

Anterior
15/08/2016
Como Deus vê a família?
Por: ICPM

(Efésios 5.22-33; 6.1-4)


Antes de criar o homem e a mulher o Senhor fez a terra como um lar para acolher a família humana. A terra criada era sem forma e vazia. O Criador foi dando o acabamento a sua obra e, em seis dias, a casa finalmente estava pronta para receber a família que iria chegar: Criou a luz, criou a relva, os vegetais e animais e coloriu a casa com muitas cores. Ao terminar a casa, o Criador gostou: “E viu Deus que era bom” (Gn 1.25). Mas, ao criar o homem e a mulher, moradores desse lar, Deus mudou sua expressão: “E eis que era muito bom” (Gn 1.31).

 

Se a família não fosse algo deste valor, “muito bom”, o diabo não trabalharia tanto para destruí-la como fez e continua fazendo. Vamos entender como Deus vê a família:

 

1 – Deus vê Cristo como cabeça do marido e Senhor da família

 

Cristo, como cabeça do marido cristão, ensina por meio da sua Palavra o papel  do seu exercício, que é o de uma liderança firme sobre esposa e filhos.

 

O princípio da chefia na família foi ordenado por Deus, conforme 1 Coríntios 11.3. A palavra “cabeça” tem significado de degrau, ordem ou posição, e nunca de superioridade do homem sobre a mulher.

 

Em termos de função, a do marido é diferente a da mulher. A natureza da mulher anseia por uma liderança espiritual em sua vida, por se sentir segura e abrigada pelo marido. Deus fez a mulher com essa dependência do marido e, quando ela não encontra nele esta liderança, segurança e abrigo, a família pode desmoronar. Isto gera uma instabilidade no lar, uma sequela, cuja consequência abala a estrutura familiar.

 

Por outro lado, o homem anseia pelo companheirismo da mulher. Ela foi feita para satisfazer esse vazio no homem. Se o homem não encontrar o companheirismo na mulher, e ela não encontrar essa liderança no marido, que lhe dá abrigo, paz e segurança, essa família está a beira de um colapso matrimonial.

 

As funções do marido e da mulher são diferentes, mas uma não é superior a outra. Suas funções são recíprocas, simultâneas e se completam.

 

2 – Deus vê o marido e pai como cabeça da esposa e autoridade principal sobre os filhos

 

A presença do marido no lar é de muita relevância. Ele deve dar maior atenção às pessoas do que as coisas. O lar para o marido deve estar acima de sua profissão e a esposa deve ter a prioridade, mesmo antes dos filhos. As coisas espirituais devem ter lugar, antes das materiais. O homem deve demonstrar o amor de maneira prática, pois o casamento é a formalização de um amor sublime, feito para durar. Deve estabelecer no lar um clima emocional de bem estar, pois o casamento é a própria felicidade quando se eterniza.

 

Como sacerdote do lar, o homem deve levar todos os membros de sua família a uma perfeita comunhão com o Criador e Senhor de todas as coisas. Ao falar do amor entre marido e esposa, vemos também a relação entre Cristo e sua igreja, pois Jesus amou sua igreja e se entregou por ela. Foi sacrificado por causa dela, voluntária e totalmente. O amor no casamento deve compor “eros”, “phileo” e “ágape”, pois é a sublimação de um todo, em que se desenvolve a segurança, se demonstra a afeição, é sensível, valoriza e enaltece.

 

3 – Deus vê a mulher como auxiliadora idônea para o marido

 

Deus em sua sabedoria infinita, ao criar a mulher, a fez para ser submissa ao marido. Essa submissão nunca foi, no conceito de Deus, a falta de opinião própria, ou que ela simplesmente fosse escrava do marido. Pelo contrário, ela deve receber do homem proteção, realização,segurança, zelo e amor.

 

A mulher na qualidade de virtuosa tem a confiança do marido. Ela faz bem ao seu marido, se dedica as necessidades dos outros, atende ao bom andamento do lar e, sobretudo, ela teme ao Senhor, como registrado em Provérbios 31.16-31. O ponto mais alto do casamento é o companheirismo que o homem tem da mulher. Ela foi feita do lado de Adão, para estar ao seu lado, igual a ele, nem adiante e nem atrás. Foi tirada da costela, por que esta fica sob os braços do homem, implicando que ela seja protegida por ele. Também a costela fica próximo ao coração, dando a entender que a mulher deve ser amada pelo homem. Não foi tirada da cabeça para mandar nele, nem do pé, para ser pisada por ele. A mulher é vista como companheira do homem.

 

 

Finalmente, num lar onde o marido é um líder segundo o coração de Deus, amoroso, longânimo, incentivador e, que a esposa lhe é submissa em amor e temente a Deus, certamente, esta família é bem conduzida, pois nela reinará a harmonia.

 

Pr. José de O. Dutra










visite nossa igreja

Rua Regente Feijó 238 - Roncon
Ribeirão Pires - SP - 09411-240

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos.